quarta-feira, 5 de novembro de 2008

McCain gets BarackRoll'd!

Impressionante como acompanhei aflita o resultado das eleições americanas ontem. Fiquei aqui até às 4 da manhã, de dedos cruzados e vibrando pelo candidato do partido democrata, Barack Obama (tanto quanto sábado pelo Massa durante a Fórmula 1, tá? Humph!).

Confesso que não entendo nada sobre o processo eleitoral americano, que é um tanto confuso. Mas entendi o suficiente: o candidato que alcançasse 270 votos no Colégio Eleitoral, composto por 538 delegados, seria eleito. A competição começou bem acirrada, com McCain tomando liderança logo em seguida. Depois, não me lembro de tê-lo visto com mais votos do que Obama.

Sinceramente, acreditei que o resultado fosse ser menos óbvio. 338 x 153, até agora (alguns estados, aparentemente, ainda não apuraram todos os votos). Estava preocupada que, mesmo com seu carisma cativante, apoio de ídolos americanos como Oprah Winfrey e propostas desafiadoras, Obama perdesse para o histórico de McCain. Pra quem não sabe, McCain é veterano da guerra do Vietnã, durante a qual, enquanto piloto, escapou da morte após um míssel disparado por acidente que atingiu seu avião. O incêndio causou a morte de 134 pessoas. Três meses depois do acontecido, teve seu avião abatido e foi capturado. Sobreviveu mais de cinco anos como prisioneiro, mas ficou com limitações de movimento em um braço. Quantos ele não conquistou com essa história de vida?

Defender o reforço da força norte-americana no Iraque despertou o desprezo de grande parte dos eleitores americanos, imagino. E outras coisas, como ser a favor da emenda constitucional que define o casamento como a união entre homem e mulher (no gays, please) e ter aquela vice... er... bonita e não-tradional DEMAIS devem ter desfavorecido McCain (imaginem: McCain tem 72 anos. Caso ele morresse, ia assumir a Sarah Pelin, sem tradição política alguma? Assim não, né). Enfim, não pretendo chegar à uma conclusão sobre o(s) motivo(s) pelo(s) qual(is) McCain perdeu, mas gostaria de entender essa diferença tamanha de votos. Sou eu ou vocês também acreditaram que seria mais disputado?

Cheers for Obama!


4 comentários:

V. disse...

He knows the rules, and so do we. Obama é uma pessoa de bom-senso, com certeza ele trará resultados interessantes nos U.S

Romulo disse...

No voto popular foi apertado, a parcial tá em 52 a 47%, por aí. O sistema de delegados é usado por causa do voto facultativo e do federalismo - o candidato que obtiver maioria relativa (entre os que votaram) no estado "ganha" os delegados que representam a população do mesmo.

O Obama não vai ter muito espaço pra mudanças por causa da crise econômica (e é a favor de mais grana pro exército, do Patriot Act, et cetera), mas se for mais razoável nas questões de energia renovável e intervencionismo militar já estará ótimo.

Por fim, fique com um gif: http://www.vulomedia.com/images/3086McCainFOX_NEWS.gif


E agora é melhor eu voltar pra minha palestra insossa, bye :*

Profa. Maria José Mesquita disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
mj_mesquita@terra.com.br disse...

Adorei Ana, Bem divertido. É bom ver alegria e esperança universal. Presenciamos um momento histórico!Mudança para um rumo diferente na história do nosso planetinha! Espero que toda a nossa alegria e otimismo sejam recompensados! O blog de vocês tá massa!
Ah se quiserem ler o primeiro discurso do Barak na íntegra coloquei no meu blog: http://geoeconomicamineralexploration.blogspot.com/